Se tem frequentemente dor de cabeça e/ou enxaqueca, saiba quando procurar um neurologista.

Se tem frequentemente dores de cabeça e não sabe se sofre de enxaqueca, determinar o tipo e possivelmente a causa das mesmas é o primeiro passo para um tratamento correto. Por isso é fundamental procurar um neurologista de confiança, invés de se auto-medicar.

A neurologia é uma especialidade médica com a qual não costumamos ter uma relação estreita ao longo da nossa vida, porque felizmente para a maioria das pessoas não é normal consultar este especialista para revisões gerais. O Neurologista é o proficional de saúde que se dedica ao estudo e tratamento dos problemas do sistema nervoso. As doenças mais comuns tratadas pelo neurologista são as dores de cabeça, cefaleias e enxaquecas.

Vários exames neurológicos podem ser solicitados pelo neurologista, como a tomografia, ressonância magnética, eletroencefalograma, exames laboratoriais, doppler transcraniano, eletromiografia, etc.

A maioria das pessoas com enxaqueca não procura um neurologista, porque acha que a sua dor de cabeça é uma dor de cabeça comum e, para a qual, não existe nenhum tratamento especifico. Mas, Ao contrário do que se diz, existem tratamentos eficazes para reduzir a freqüência e intensidade da maioria das cefaléias.

a dor de cabeça causada pela enxaqueca pode durar de 4 horas a três dias. Dependendo da pessoa pode ser causada por privação ou excesso de sono, por passar períodos longos sem se alimentar, ou até mesmo por uma mudança de clima.

Como saber quando procurar um neurologista?

procurar um neurologista

Tomar um analgésico de vez em quando para a dor de cabeça não tem problema. Mas se a dor for frequente, deve procurar um neurologista, sempre que:

  • sente dor de cabeça, pelo menos, uma vez por semana;
  • quando a dor de cabeça dura de um a três dias;
  • quando toma analgésicos por mais de 10 dias num mês;
  • se a dor for acompanhada de alguns sintomas como perda de força.

Cerca de 16% dos adultos têm ou terão enxaqueca ao longo da vida. As mulheres têm três vezes mais enxaquecas do que os homens, devido aos hormônios e ao ciclo menstrual. A partir da adolescência, o número de pacientes com enxaqueca vai aumentando. Na velhice e na infância, as pessoas têm menos enxaqueca por motivos ainda não conhecidos.

Deixe o seu Comentário